Cultivando minha própria baunilha natural

O aroma perfumado daquela primeira vagem seca de baunilha colhida no quintal jamais vai sair da minha memória. Aquele cheiro adocicado e forte, um pouco alcoólico, ainda que não tivesse sido a fava embebida em nenhum tipo de solução, é totalmente envolvente.

Pouca gente sabe, mas a baunilha nasce de uma planta trepadeira pertencente à família das orchidaceae. Isso mesmo. É uma dessas plantas que se agarra em uma outra árvore, um muro, ou um suporte e sua flor é uma linda orquídea que nasce em tom claro de verde e pode, ou não, assumir uma cor amarelada com detalhes em branco.

Para que a vagem, que vai se tornar uma fava, nasça, a orquídea de baunilha precisa ser fecundada. Naturalmente quem faz esse trabalho é uma espécie de abelha que não existe no Brasil – ao menos não até onde me informei quando pesquisei sobre esta planta. A trepadeira da baunilha gosta de locais úmidos e frescos, ainda que haja necessidade, em algum momento do dia, que ela tenha contato com o sol.

Mas então como fazer a fecundação da orquídea e conseguir cultivar minha própria baunilha em casa? Fazendo o serviço manualmente. Com a ajuda de um palitinho de dente é totalmente possível. Eu aprendi assistindo a um vídeo no YouTube com o nome “How to Pollinate Vanilla”. Ele vai mostrar direitinho o que precisa ser feito. É um vídeo super curto. (Não vou colocar aqui porque ele não pertence a mim e, realmente eu vacilei em não ter feito um, mas também não sabia se daria certo. Se em agosto/setembro der mais flores, farei o vídeo e coloco aqui para vocês).

Fecundada a flor, você vai agora esperar pela vagem. Só quando ela aparecer (ou não) que você vai saber se realmente a orquídea foi polinizada. Depois começa o processo de secagem. A minha intenção inicial é fazer extrato natural de baunilha sem pagar um preço absurdo e não precisar mais usar essência extraída em laboratório com uso de corantes e aromatizantes. 


Minha História de Paciência

Se você deseja plantar sua própria orquídea de baunilha é preciso muita paciência. Comprei três mudas quando eu ainda estava grávida, em 2014. Deixei uma maiorzinho na casa da minha sogra e levei as outras duas menorzinhas para a casa dos meus pais no interior, ambas com quintal e canteiro para plantações. No primeiro ano eu a bisbilhotava com frequência e nada. Dois anos se passaram e nada também. Cheguei a achar que tinha sido enganada pela vendedora. “Me vendeu uma trepadeira que nem flor dá, quem dirá baunilha”.

Ela demorou três anos para aparecer a primeira flor. Foi entre agosto e setembro que começaram a aparecer os primeiros brotinhos. Logo logo as orquídeas começaram a se abrir. Ela costuma ficar apenas 24 horas aberta e se fecha novamente, algumas caem, outras permanecem e tornam a abrir e fechar. Após fecundada, nasceram as vagens e mais dez meses se passaram e elas finalmente começaram a secar e foram colhidas para terminar de desidratar ao sol. Como podem ver, algumas já estão praticamente secas e o aroma é maravilhoso. Além de exalar o cheiro característico da baunilha, ela ainda tem um aroma carregado de conquista, dedicação e amor. 🙂

Agradecimento especial aos meus pais e à minha sogra que ajudaram cuidando das plantinhas e as abrigando em seus quintais. Obrigada. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *