O que você precisa saber antes de ir a Cartagena em 10 passos

Se você me perguntar “qual a primeira atração que devo visitar? (1)”. Em qualquer lugar do mundo, eu vou dizer sempre a mesma resposta: nenhuma. Isso porque eu acho que flanar, ou seja, andar sem rumo pela cidade, em um primeiro momento, é a melhor opção. Mas claro, isso só se você estiver com tempo. Caso contrário, tem mesmo é que pesquisar muito e criar um roteiro personalizado para conseguir visitar o que mais te agrada. Mas vamos deixar de “lero-lero”e partir para o objetivo desta publicação.

Bom, como Cartagena das Índias, na Colômbia, tem basicamente o centro histórico para visitar, eu diria que flanar pela cidade amuralhada vai caber direitinho no seu roteiro. Isso mesmo. Saia do hotel sem pretensão alguma e comece a entrar e sair das ruelas daquela parte que é considerada o coração da cidade. Para não dizer que não fui justa. Vou dar um spoiler: você vai se deparar com vários ambulantes te oferecendo todo tipo de coisa e se você realmente não quer nada manda logo um “Non, Gracias”. Nem experimenta dizer que vai querer depois. Ele vai te encontrar novamente e vai te cobrar por isso. Assim como as colombianas vestidas com saias rodadas e uma cesta de frutas na cabeça. Elas vão sempre sorrir e te mandar aquele elogio maroto. Em seguida elas irão se oferecer para ser fotografada com você e vão te cobrar por isso. Sim. Como na Bahia. Mas abstraia. Não se estresse. Isso tudo faz parte de sentir a cidade.

Então vamos para outra perspectiva das coisas. Repare as construções, as lojas, as cores, as flores, as praças, ouça um batuque e o siga, admire as portas gigantes e maravilhosas com batedores em ferro, com ou sem animais esculpidos. Sinta o calor da cidade, daquele sol alaranjado e que queima, como descrito nas obras de Gabriel García Marquez, sinta o cheiro de café em uma outra esquina, ouça cavalos trotando. Entre no clima. Agora sim. Você está pronto para seguir um trajeto.

2 – Quantos dias devo ficar em Cartagena?

Isso depende. Eu diria que em 1 dia você consegue visitar os principais monumentos e museus do centro histórico de Cartagena das Índias. Ou em 2 dias caso esteja com criança. Mas para aproveitar praias ao redor da cidade e a gastronomia local, eu ficaria pelo menos 4 ou 5 dias.

3 – Como faço para chegar ao centro histórico ou me deslocar a longas distâncias?

Acredito que a melhor opção é táxi. É barato, no entanto os taxistas não utilizam taxímetros. Aqui vale a máxima: “o combinado não sai caro”, ou seja, a dica é perguntar o valor da corrida antes de entrar no táxi. Se você não fizer isso pode se surpreender com o valor no final.

4 – Onde é melhor eu me hospedar?

Recomendamos ficar dentro da cidade amuralhada, principalmente se você viaja com crianças. E, para saber melhor todas as nossas dicas de hospedagem em Cartagena você pode clicar aqui.

5 – É melhor levar Peso Colombiano, Real ou Dólar? Quanto devo levar?

Para mim sempre a melhor opção é levar a moeda local já trocada, se possível. Muitas pessoas levam dólar e procuram uma casa de câmbio por lá para fazer a troca. Mas você enfrenta dois câmbios (do real para o dólar e do dólar para o peso) e pode pagar mais taxas, tanto de lucros quanto impostos em cima disso.

Alguns estabelecimentos aceitam dólar, mas a sua desvantagem nisso é que a cotação vai ser a que eles quiserem colocar e o troco vai ser na moeda local.

Existe hoje no Brasil algumas casas de câmbio que trabalham com Peso Colombiano, principalmente se você encomendar. Alguns lugares pedem cerca de 4 a 5 dias para conseguir a moeda para você. Em Belo Horizonte, compramos pela London Câmbio.

O Real não é aceito em nenhum local na Colômbia, até onde sabemos. O que pode ser feito é você sacar lá em algum banco que também tenha no Brasil, como o Itaú (possui uma agência na Plaza de la Aduana).

Sobre o valor a levar. Isso depende muito do que você pretende fazer durante a sua viagem. Sugiro fazer um esboço do seu roteiro e depois tentar calcular uma média de gastos com alimentação, deslocamento, hotel, acrescentar umas comprinhas como café e chocolates e um ou outro souvenir. E ter em mãos um cartão de crédito para garantir qualquer eventualidade. 

6- Posso/Devo usar meu cartão de crédito?

Bom, se você achar necessário sim. Talvez usar em um restaurante ou outro, ou uma loja que lhe pareça mais confiável não haja problema. Mas temos duas dicas que pode te ajudar a se proteger de possíveis golpes com cartão fora de seu país.

A primeira é: libere seu cartão para compras internacionais apenas para o período que estiver viajando. Agende para ele ser desabilitado assim que estiver em solo brasileiro.

A segunda dica é: nunca deixe que uma pessoa leve o seu cartão para atrás do balcão ou qualquer coisa semelhante. Peça que tragam a máquina até você, ou se dirija até o caixa junto do garçom para que realize o pagamento de sua compra.

Durante nossa viagem a Colômbia tivemos nosso cartão clonado. Tentaram fazer uma compra online de uma passagem aérea pela Viva Colômbia, mas já estávamos no Brasil e o cartão já estava desabilitado para compra internacional, o que inviabilizou a tentativa de

compra e fez com que o cartão fosse automaticamente bloqueado. A empresa de cartão de crédito entrou em contato conosco e tudo foi resolvido prontamente. Acreditamos que isso tenha ocorrido em um único restaurante em que o nosso cartão foi levado para atrás do balcão, portanto, as dicas.

7 – É caro comer em Cartagena?

Definitivamente não. Você encontra lanches muito baratos em qualquer lugar da cidade. E os restaurantes mais chiques na parte cercada pelo muro tem preços muito muito muito em conta. Nos apresentaram o “El Santíssimo” como um dos melhores restaurantes da cidade, porém, seria ele muito caro. No entanto, uma olhada no cardápio e a opção mais onerosa era em torno de R$ 70. Eu que sou apaixonada por peixes e frutos do mar  me senti praticamente no céu. Comi muito bem e sem ter que vender a alma.

A gastronomia local é incrível e alguns bons restaurantes ainda buscam a sua identidade na cozinha contemporânea. Em geral, é uma culinária de influência marítima-caribenha e afro-colombiana. Tudo muito bem temperado e fresco. Vale a pena ousar.

8- Que praia devo ir na região?

Acho isso muito pessoal também. As mais procuradas na região são a “Playa Blanca”, “Bocagrande”e “La Boquilla”. Não fomos em nenhuma então fica difícil dizer o que achei. Ainda assim, vou destinar um post sobre as pesquisas que fizemos sobre esses passeios e vou linkar aqui assim que ele estiver no ar.

Um dos principais motivos que não fomos a nenhuma praia ao redor da belíssima Cartagena é que iríamos para a ilha de San Andrés para passarmos quatro dias inteiros lá. E pelo que vimos, nada seria melhor que o mar de sete cores daquele lugar maravilhoso. Então, se você tem uns diazinhos a mais para incluir no seu roteiro, vale a pena a esticada a San Andrés para ficar uns dias.

9 – Qual a melhor época do ano para viajar a Cartagena?

Bom, Cartagena é quente o ano todo, no verão especialmente o calor pode atingir marcas acima de 30ºC. A média de temperatura da cidade é de 27ºC. Além do calor, a cidade também é bastante úmida, e entre os meses de maio a novembro, apesar das altas temperaturas, há mais chance de precipitações. Nos meses entre dezembro e março quase não há ocorrência de chuvas e, quando há, na maioria das vezes é passageira, ou seja, é daquelas chuvinhas que vêm só para refrescar.

10 – Que documentos preciso para visitar Cartagena?

Bom, se o seu voo é direto ou com conexão em países que fazem parte do Mercosul você vai precisar apenas de um documentos de identidade com foto. Mas é bom se atentar para a foto do seu documento. Se for uma foto antiga e que não seja possível identificar você com a imagem no doc., melhor se garantir com outro título.

Muitos brasileiros chegam a Cartagena fazendo conexão pelo Panamá. Então, ATENÇÃO. O Panamá exige apresentação de passaporte sim, pois não integra o grupo de países que fazem parte do Mercosul. Você só vai passar por aquele país, mas ainda assim vai fazer imigração lá e precisa apresentar seu passaporte.

Eu, particularmente, adoro usar o passaporte mesmo nas viagens aos países do Mercosul, só para levar para casa um carimbo que marque aquele momento. (risos).

Outro documento que você vai precisar é a comprovação de vacina da Febre Amarela. A Colômbia exige essa vacina para entrar no país. Hoje em dia o Brasil trabalha com um Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) e a dica é se programar antes para vacinar. Não adianta procurar o posto um dia antes de embarcar ou no aeroporto. A vacina de Febre Amarela demora 10 dias para agir e pode ocorrer da imigração implicar com esse tempo. Se programe e não deixe para a última hora. E vale lembrar que a vacinação protege sua saúde.

Hoje em dia o sistema dos Centros de Atenção à Saúde do Viajante trabalham com sistema online, se você precisar de uma segunda via procure uma unidade para retirar o documento. Mais uma vez, faça isso com antecedência. O sistema ainda falha.

Seguro Viagem não é obrigatório, no entanto, eu recomendo que sempre tenha um quando viajar para fora do seu país. Principalmente se você viaja com grávidas, idosos e crianças. Procure saber com a operadora do seu cartão de crédito se ela tem algum plano a te ofertar caso você compre a passagem utilizando a bandeira. Normalmente há opções de planos até gratuitamente.

Se você viaja com crianças sem os pais ou sem um dos pais, procure saber sobre documentação específica de autorização para viagens ao exterior.

E se você tiver mais alguma pergunta que possamos responder a você deixe nos comentários que vamos adorar ajudá-los. Abraços e uma ótima viagem. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *